Prefeitura de Juazeiro perde área do Camelódromo e Terminal de ônibus para iniciativa privada

Fachada do furuto empreeendimentoDepois de aprovar o projeto de privatização através de PPP’s, em dezembro de 2012, a prefeitura de Juazeiro ‘perde’ a área que compreende o Terminal de ônibus, Camelódromo e a Farmácia Popular, no centro da cidade. De acordo com informações de Assunção de Maria repassadas ao vereador José Carlos Medeiros (PV), a área foi adquirida do espólio da família Campelo pelo empresário.

Segundo Medeiros, único parlamentar que votou contra os projetos de privatizações do governo comunista, essa perda é ‘estranha’, pois, assim como a área do colégio Edson Ribeiro e parte do Mercado Arnaldo Vieira, esse novo ‘ganho’ do empresário só aconteceu depois que o prefeito Isaac Carvalho começou a administrar a cidade, nos últimos quatro anos.

Medeiros afirma que o projeto apresentado pelo empresário para área é interessante e deve ser considerado, mas a sua preocupação, além de defender o patrimônio público, é com os comerciantes do atual entreposto. “Faltou firmeza e competência da prefeitura em defender os interesses da população. A gestão municipal sabia desse processo há muito tempo e não chamou a sociedade e os permissionários para participarem da discussão. A prefeitura deve uma satisfação ao povo juazeirense sobre o fato. O projeto apresentado por Assunção pode até trazer modernidade, revitalizar a área e um novo sentido comercial para cidade, mas e os trabalhadores? Não podemos deixar de pensar nos pais e mães de família que tiram dali o seu sustento”, preocupa-se.

Planta baixa do novo 'shopping popular'O empresário garante, segundo o parlamentar, que todos os permissionários terão direito a um box no novo ‘ shopping popular’ da cidade com direito a titularidade, mas, para Medeiros, uma das questões que devem ser melhor debatida é a taxa de condomínio que será cobrada para a manutenção do empreendimento. “Os pequenos comerciantes não podem ficar reféns de uma taxa exorbitante, que possa inviabilizar seus negócios. Defendo um tratamento justo para ambas as partes. É necessário que se abra a discussão o quanto antes”, pontua.

O vereador Medeiros alerta, ainda, que o novo formato de empreendimento poderá gerar uma concorrência desleal e predatória por parte de grandes empresários da região em relação aos pequenos empreendedores. “Precisamos estabelecer mecanismos de proteção para os pequenos comerciantes. Esse é um dos pontos de pauta das reuniões que já tivemos com o empresário Assunção e com a Associação dos Comerciantes do Camelódromo 2 de julho. Estamos na luta por um entendimento bom para todas as partes e que não gere nenhum tipo de prejuízo para nossa cidade ”, finaliza o parlamentar.

Fonte: Assessoria de Comunicação do vereador José Carlos Medeiros

Categorias Comércio Política Região