Pastoral Social questiona processo licitatório da Compesa.

A Pastoral  Social da Diocese de Petrolina realizou na tarde desta segundaa feira (29), uma reunião  que aconteceu no centro de treinamento diocesano. O objetivo foi  discutir  o processo  licitatório que está com edital aberto pela Prefeitura  Municipal de Petrolina. Participaram da reunião representantes de associações e do movimento Levante Popular da Univasf, Conselho Estadual das Cidades,  Sindicatos e a representante da Camara de Vereadores de Petrolina,  vereadora Cristina Costa.

Em  entrevista ao vivo no programa Canal Aberto, da Voz do São Francisco, padre Luiz Ângelo, coordenador da pastoral social fez uma avaliação do processo licitatório. “Estamos reunidos para refletir um fato gravíssimo, de que pro um lado tá dizendo que é municipalização mas na verdade é privatização, por que já existe um edital aberto pela Prefeitura de Petrolina que termina no dia 12 de novembro, e nada foi discutido pela sociedade, nós da pastoral social não somos contra municipalização e sim a forma que está sendo feito”, ponderou.

Já o diretor regional do Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco  Roberto  Palma,  fez um reconhecimento dos problemas da Compesa  no entanto  entregar à iniciativa privada,  a população pagaria um preço muito auto.

O representante do movimento Levante Popular da Juventude da Univasf  Flávio Arcângelis, disse que “reafirma o interesse da Prefeitura em privatizar a Compesa e não municipalizar, e  que o levante  está disposto  a apoiar  a pastoral social e qualquer outra organização que seja contra a privatização a impedir  que isso aconteça”.

Por  Adenes Café.

 

Categorias Eventos