Luiz Gonzaga, uma légua tirana para tanta homenagem.

A rádio a Voz do São Francisco Am 730, tem repetido um promocional, que não enfada nem cansa, um áudio em que Luiz Gonzaga reproduz seu sentimento por Petrolina que completava naquela data, setembro de 1975, 80 anos de emancipação política, e ele, o sanfoneiro, era saudado com um título de cidadão petrolinense, justa honraria a quem soube defender seus conterrâneos de Pernambuco. Era a década de 1970. Luiz, estava saindo dum período de ostracismo, ofuscado pelos modismos estrangeiros e pela onda da jovem guarda, protagonizada por Roberto Carlos. O sanfoneiro Gonzaga, tripudiou com sincera e respeitosa frase, “Petrolina, respeita Januário”, parafraseando o que dissera anos antes o cachaceiro, no bom sentido, Jacó, “Luiz, respeita Januário, respeita os oito baixos do teu pai”. Nesta terça-feira, 11, pela manhã no programa Tribuna do Povo, desta mesma emissora, o advogado e professor, Ednaldo Ferraz, reivindicando para si a condição de ouvinte e que acompanhou Gonzaga em suas caravanas sertão adentro e ressaltar enfim, as passagens felizes, “valorizando o vaqueiro, a missa, o rio São Francisco, as manifestações desde o Pajeú da Floresta que ele soube cantar até encantar com sua interpretação clássica, o caminhão de mulher de Ouricuri”, disse com indisfarçada satisfação, Dr. Ferraz. E acrescentou, “nada seria assim faltando essas poucas horas com a chegada ansiosamente aguardada do aniversário de cem anos do velho companheiro Luiz Gonzaga, na sua eternizada Exu, que junta gente desde alguns dias para fazer barulho com sanfona, zabumba, triângulo e muito xaxado, muito baião, muito xote”, finalizou o advogado vaqueiro, professor Ednaldo Ferraz.

Por Marcelo Damasceno.

Central de Jornalismo  da  Voz do São Francisco.

Categorias Destaque História