Instituto Sapiens em convênio com a UNASUR traz Mestrado para a região do Vale do São Francisco

Foto_3882[1]O Vale do São Francisco inicia 2014 com novos ares para a educação, as duas cidades – Juazeiro e Petrolina – recebem o Mestrado em Formação Educacional Interdisciplinaridade e Subjetividade – trazido pelo Instituto Sapiens em convênio com a UNASUR – universidade do Paraguai, ligada ao acordo do Mercosul.

Com a imensa lacuna deixada pela falta de ofertas de vagas para mestrado, nossa região, apesar de um pólo universitário tem imenso déficit em mão de obra especializada, é uma inovação, pois era necessário que o aluno brasileiro viajasse para o país de origem da universidade três vezes, o chamado sanduíche, mas com a Sapiens – as aulas serão presenciais: uma vez por mês – com professores/doutores e a defesa de tese será feita por meio de vídeo conferência – dessa forma o mestrando irá economizar cerca de 18 mil reais em viagens.

O responsável pela gerência da Sapiens na região é o professor de matemática Henrique Michaellys Tabosa de Araujo, mestre em educação, doutorando em psicologia psicanalítica. Com sede na Paraíba, o Sapiens abre sua sucursal em Petrolina, na Rua Manoel Clementino, 1009 – Centro e já conta com turmas formadas em Orocó, Cabrobó e Santa Maria da Boa Vista e em fevereiro estará com duas turmas abertas em Petrolina e duas em Juazeiro.

Com mais de 120 turmas pelo país, a Sapiens busca proporcionar o acesso a titulações em mestrado em doutorado em locais carentes desse serviço, por preço acessível e com muita qualidade. A duração do mestrado é de 24 meses com 18 créditos e mais 06 orientações supervisionadas. A coordenação do pólo Pernambuco/Bahia/Piauí ficará a cargo da professora Cibele de Lima que esteve concedendo entrevista na manhã desta quarta-feira, 08, no programa Tribuna do Povo da rádio A Voz do São Francisco onde abordou a importância e a justificativa desse curso de formação em pesquisa.

“Nós sabemos que por mais que Petrolina e Juazeiro tenham se tornado um polo universitário, por mais que nós tenhamos vagas nas universidades públicas do que muita capital pequena aqui do nordeste, nós ainda não temos a mão de obra especializada que nós precisamos ter”, destacou professora doutora Cibele Lima.

Para a Cibele Lima com a falta de acessibilidade o Instituto Sapiens vem tentar fazer a democratização de mais esse elemento, porque “hoje se obriga que apenas mestres e doutores estejam nas faculdades e nós não conseguimos essa proeza aqui no vale e isso está dando uma chance muito grande para que as vagas sejam preenchidas apenas pelos profissionais que vêm de fora”, afirmou.

De acordo com o gerente da Sapiens na região, professor Mychaellys Tabosa, que também participou da entrevista, com a referência da professora Cibele na busca de parceiras, foi possível ofertar o mestrado com um custo acessível para os professores da região em que 90 vagas estarão disponíveis para a cidade de Petrolina. (Assessoria Sapiens e Angela Santana).


Central de Jornalismo da Voz do São Francisco.