Dia Mundial dos Pais, Dom Auza: a paz no mundo começa em casa

O futuro da humanidade depende do modo com o qual mães e pais realizam a sua missão educativa. Foi o que afirmou o núncio apostólico, Dom Bernardito Auza, observador permanente da Santa Sé junto às Nações Unidas, discursando no último sábado (02/06) em Nova York em um evento por ocasião do Dia Mundial dos Pais centralizado no tema: “O impacto da boa paternidade sobre as crianças e sociedade”.

A família é fundamental para promover a paz

A boa paternidade de uma mãe e de um pai que se respeitam – disse Dom Auza -, é fundamental para a formação das crianças com corações pacíficos. É essencial – acrescentou -, para as grandes esperanças que a comunidade internacional está comprometida em alcançar. Referindo-se ao mural de Per Krohg, visível na sede da ONU, o núncio recordou a mensagem desta obra: a família – sublinhou – é crucial para a construção da paz.

Boa paternidade

Boa paternidade – explicou ainda Dom Auza -, não é apenas essencial para a paz. É também crucial para o desenvolvimento, para a defesa dos direitos humanos e para a manutenção de acordos e tratados internacionais. A família é também a base para a educação, saúde, igualdade. O respeito pelos direitos humanos fundamentais da dignidade humana – observou o prelado -, deriva em particular da maneira com a qual as pessoas aprendem a respeitar seus familiares. É em casa – explicou o núncio – que as pessoas aprendem a manter compromissos recíprocos.

Futuro do mundo ligado às famílias

A paz no mundo – disse ainda o prelado – começa com a paz em casa. O desenvolvimento sustentável das sociedades está ligado ao trabalho de mães e pais. A escola do amor familiar é a coluna para a construção de uma sociedade em que seja assegurado o respeito à dignidade e aos direitos humanos. O futuro do mundo – concluiu Dom Auza – está ligado às famílias: por isso, os pais devem estar preparados, devem ser apoiados e incentivados a desempenhar seu indispensável papel.

Vatican News

Categorias Destaque 2 Religião