Cuidado com alguns perigos espirituais que aparentemente são bons

Constantemente somos atacados, tanto na nossa vida espiritual como na física, psicológica e emocional. Precisamos viver em uma constante luta, vigilância e prudência, para que não nos deixemos ser arrastados pelo mal. Por isso, quero lhe chamar a atenção para alguns perigos espirituais que aparentemente são bons.

Vamos começar pela chamada gula espiritual manifestada pelo gosto excessivo das consolações, pela busca de austeridade e disciplina, e pelo desejo de alcançar uma devoção sensível. Mas, tudo isso, com o intuito de viver só na consolação, de forma que os esforços e desejos se tornam infrutíferos.

Assim, a pessoa, que passa por isso, cai no desalento e fica mais presa aos consolos espirituais do que ao próprio Deus.

Há, também, a luxúria espiritual  que se baseia na busca de amizades sensíveis ou sensuais sob o pretexto de devoção, quando as pessoas, que passam por essa dificuldade, afirmam que essas amizades alimentam a piedade e as levam para Deus.

Por fim, ficam muito apegadas a essas pessoas, e mesmo que essas sejam de Deus, elas tiram Deus do centro de suas vidas.

Preguiça espiritual as pessoas ficam enfastiadas dos exercícios espirituais, porque não encontram mais gosto neles, assim se deixam levar pelo desânimo, pelo relaxamento e, por fim, abandonam totalmente ao Senhor.

Avareza espiritual pessoas que vivem certa compulsão na busca de conselhos, preceitos, devoções, mortificações, leitura, objetos sacros, e se esquecem de colocar Deus como o principal de tudo isso.

Deixam Deus de lado por conta dessas coisas, dando preferência ao que é curioso e aparente.

Entre os perigos espirituais, a tibieza também é considerada perigosíssima, uma verdadeira doença espiritual.

É uma espécie de relaxamento espiritual, que amortece as energias e a têmpera da vontade, inspirando horror ao esforço e conduzindo ao afrouxamento da vida cristã. Trata-se de uma espécie de torpor, enfraquecimento, que leva ao definhamento gradual das forças espirituais e morais.

Pode-se destacar a causa principal desse problema: alimento espiritual defeituoso. Podem-se destacar dois tipos de tibieza: a começada e a consumada.

Na primeira, a pessoa tem horror ao pecado mortal, mas se deixa facilmente cair em pecado venial, muitas vezes, de propósito e deliberadamente. E no segundo tipo de tibieza (a consumada), a pessoa vai deixando de lado o horror ao pecado mortal, e aumentando gradativamente o amor ao prazer.

Quem vive a tibieza, passa por sério perigo espiritual, entre eles estão o enfraquecimento progressivo, a cegueira da consciência, a consciência relaxada e o enfraquecimento progressivo da vontade.

Precisamos, urgentemente, buscar a libertação e a cura diante desses ataques espirituais. O caminho é buscar recuperar o fervor na vida espiritual, a pureza de consciência, a confissão sincera e a ajuda de um sacerdote, sobretudo, a vida pessoal de oração e adoração a Jesus Sacramentado.

Fonte Canção Nova

Categorias Destaque 2 Notícias Religião