Caso Beatriz: Vaticano se manifesta através de resposta do Papa Francisco à carta da mãe da criança

O caso Beatriz, aluna do Colégio Maria Auxiliadora, que foi brutalmente assassinada durante uma festa de final de ano que acontecia na instituição salesiana, em 10 de dezembro de 2015, chegou ao Papa Francisco.

No dia dez de julho deste ano, a mãe da criança enviou uma carta ao líder maior da Igreja Católica, suplicando auxílio. Na carta, Lucinha Mota narrou a tragédia e pediu que, de alguma forma, o Papa intercedesse na elucidação deste crime que aconteceu em “uma escola católica administrada pelas freiras “Filhas de Maria”.

Lucinha também reclamou da instituição católica, afirmando que o colégio “não ajuda, omite informações, e ainda age como se estivesse na idade das trevas”.

Em um trecho da carta de Lucinha Mota, ela também afirma que a “administração da entidade se utiliza de subterfúgios procurando esconder importantes evidências, obstruindo as investigações e procurando descredenciar os trabalhos já realizados pelos investigadores do caso” e ressalta que “alguns de seus funcionários são os principais suspeitos na facilitação dessa atrocidade, o que contradiz radicalmente o ideal evangélico apoiado pelas instituições religiosas de nosso país”.

A mãe de Beatriz chamou o comportamento da escola de “estranho” e disse ao Papa que “existe uma mancha indelével na nossa sociedade e esse estranho comportamento da escola católica afasta as famílias do Vale do São Francisco da nossa Santa Igreja”.

Diz a carta: 

Quatro meses após o envio da carta, os pais da menina receberam uma resposta do Santo Padre e agradecidos, falaram com nossa reportagem.

“Nosso objetivo foi alcançado. Nossa mensagem chegou ao Santo Padre, que já tem conhecimento do caso e de tudo o mais que o envolve. Nos sentimos abençoados pelo Papa Francisco e este sinal, estas respostas alimentam nossa esperança de que a justiça seja feita”, declarou Lucinha Mota.

“É uma carta protocolar, mas que traz uma mensagem de fé e esperança. O Papa Francisco concedeu a nossa família e extensiva a todos os desejosos por justiça, uma benção apostólica especial. Nos disse palavras de conforto, especialmente para Lucinha e que reza pelas intenções que lhe recomendaram, orando para que Deus possa abençoar e iluminar todos aqueles profissionais de segurança responsáveis pela resolução do caso”, declarou Sandro Romildo, pai de Beatriz.

Na resposta, o Papa Francisco enviou a seguinte mensagem:

FONTE: PRETO NO BRANCO COM SIBELE FONSECA

Categorias Destaque